Fragmentos

Então é isso, a gente faz o que pode e depois tenta catar os pedaços da'gente que ficam jogados por aí.
A cabeça dói de tanto pensar... Como foi que me espalhei aqui?
Cacos de vidro sobre o taco velho e desbotado...

A gente se acha nos pequenos feichos de luz e depois se perde....
Ah como a gente se perde! Às vezes por pura teimosia a gente se perde só pra se encontrar e se esconder de novo e de novo... Nos ocupando qse que irremediavelmente com nossos próprios umbigos... Buraco negro do mundo.


Se eu caminhar sobre brasas serei mais feliz?
Por uma semana talvez, que o fogo que consome a gente não tem nome, nem lasca madeira seca ao vento

Conhecimento

A felicidade é instante fugidio, escapa, é isso. Deixa memórias gravadas em nossa gene e assim compartilhamos algo sem nome, sem corpo, instantes entre milhares de eus que nos repartimos.
Érica Alcântara
15/01/2020

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Das vidas vividas

Batizado e a superação do medo