Destemida

Vamos desaparecer, você sabe! Nesse infinito de coisas que se sucedem no tempo.
Em breve não restará poeira do que foi dito, música para poucos ouvidos.
Você desaparecerá como pegadas de pássaros encobertas por elefantes cinzas, quase azuis...
Eu posso refletir sobre tudo que dissemos e, aos poucos, me permito o infinito, anônimo e sem sentimentos.
Sobrevôo teu corpo, enquanto devoro o silêncio.
Você pode vir para a imensidão do agora, tomar sol na varanda, enquanto alimento o vento.
Érica Alcântara
09/04/2019

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Batizado e a superação do medo

Resistência

Mulher da terra