Partida e chegada

O tempo de partida é o tempo de chegada
Em cada perda um ganho
Pois o vento que derruba a casa, varre o chão para nova estrutura...
Nascemos dotados de movimento, para tanto mudamos, ainda que visualmente parados, trocamos de ideia, de ar, de emoção
A mudança está na natureza, humana?
Em tudo, até a morte se transforma em rico esterco onde nasce o infinito.
Érica Alcântara

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Preta sim, mulata jamais

Um passo de cada vez

Abandonado na UPA