Que venha

Que venha
A água que se aglomera no ar
A força da terra, donde tudo se transforma
Donde tudo se condensa, evapora e retorna
Que de todos os ciclos o meu
Seja meu guia
Onde todos os dias o sol brilha e
à tarde toda água contribui pra brava semeadura de versos
Érica Alcântara

(Sem data, do fundo da gaveta)


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Preta sim, mulata jamais

Um passo de cada vez

Abandonado na UPA