RAÍZES



          Para quem não tem mais pátria
          talvez escrever seja a única morada
          talvez escrever seja a única morada
                Theodor Adorno

"E me perguntam onde estou
E me perguntam onde moro
Tornaram-se enfim questões delicadas
Estou morando em minhas palavras
Às vezes sede, às vezes navalha
Às vezes também girassóis e asas"

Por Iracema Macedo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Preta sim, mulata jamais

Um passo de cada vez

Abandonado na UPA