Depois


Com o tempo, a chuva vem e lava todos os sentidos.
A boca que esbravejava, silenciosa dorme
uma sensação doce de ter o tempo nas mãos
depois ...
a angústia, filha da certeza de, novamente, perdê-lo
o tempo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Preta sim, mulata jamais

Um passo de cada vez

Abandonado na UPA