Para começar


Devo iniciar este momento com a minha descrição das coisas? Como conhecer o outro senão pelo que ele concebe da realidade?
Eu venho de Minas, das terras altas e nobres e nem sempre contemplada pela lucidez.
Cresci sozinha, como crescem as plantas de meu jardim e, de certo modo, creio que este é o único jeito de se crescer por dentro, tanto quanto se cresce por fora.
Depois vieram as vontades e os desejos, que por falta de orientação, seguiram o vento. E depois de passar anos, penalizando a embarcação, meu corsário encontra um rota e estou à caminho.

Comentários

  1. A maior dificulade da humanidade´é estar sozinha consigo mesma, talvez se realizasse o mesmo descobrissem os monstros que nos atormentam e assim domestica-los até torná-los anjos de nosso interior... para sempre podermos buscar a paz que tanto almejamosa oo nosso dia-a-dia.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

O que eu penso disso...

Postagens mais visitadas deste blog

Preta sim, mulata jamais

Um passo de cada vez

Abandonado na UPA