História


Certos olhares parecem tocar o infinito


As mãos que semeiam experiência


Os pés calejados de uma mulher centenária


Que gestos podem descrever a venturas e desventuras por ela vividas?

Algumas mulheres, mesmo com o passar dos anos, a solidão fria das paredes silenciosas da casa, mantém a docilidade de uma criança e os olhos que vem o futuro como o próximo minuto, por que a vida, essa palavra pequena de dimensão inalcansável, a vida acontece no presente.
Almerinda, que histórias guardam seus cômodos de barro, suas roupas de trapo? Que capacidade a tua de sorrir de tudo, de alcançar longas distâncias de caminhos e de vida.
Entrevistar Almerinda foi um presente que recebi, e publico a seguir a matéria.

Comentários

Postar um comentário

O que eu penso disso...

Postagens mais visitadas deste blog

Preta sim, mulata jamais

Um passo de cada vez

Abandonado na UPA